Politica

Deputado Bosco cobra da Fifa e da CBF medidas efetivas contra o racismo

O pedido de providências aconteceu durante o pronunciamento feito esta semana no plenário na Assembleia Legislativa de Minas Gerais e foi motivado durante a leitura de uma carta de repúdio ao crime de racismo sofrido pelo jogador brasileiro, Vini Júnior, no domingo dia 21/05.

“Não podemos mais permitir que novos casos de racismos continuem acontecendo. Durante a reunião desta terça-feira (23/5), expressei veemente repúdio ao terrível episódio de racismo sofrido pelo jogador Vini Junior durante o jogo entre Real Madrid e Valencia. É inadmissível que, em pleno século XXI, ainda tenhamos que presenciar atos de discriminação e preconceito dentro dos campos de futebol e fora dele também”, desabafou o Bosco.

Na ocasião, foi requisitado o apoiamento de todos os parlamentares para que seja encaminhado à Federação Internacional de Futebol (FIFA) e à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), um requerimento exigindo atitudes concretas das duas instituições.

Deputado Bosco ainda ressaltou que é necessário a união de todos para lutar contra o racismo no futebol e na sociedade. “É hora de dizer basta e mostrar que a nossa nação é diversa, inclusiva e igualitária!”

Leia a nota de repúdio na íntegra e assista ao pronunciamento, acessando o link: https://www.instagram.com/p/CsmThzet4Me/?utm_source=ig_web_copy_link&igshid=MmJiY2I4NDBkZg==

Senhoras e senhores,

Venho diante desta Assembleia expressar meu veemente repúdio ao terrível episódio de racismo sofrido pelo jogador Vini Junior durante o jogo entre Real Madrid e Valencia. É inadmissível que, em pleno século XXI, ainda tenhamos que presenciar atos de discriminação e preconceito dentro dos campos de futebol.

O racismo é uma chaga que persiste em nossa sociedade, e o futebol, como uma das maiores manifestações culturais e esportivas do mundo, não pode ser palco para tais atrocidades. Vini Junior, um jovem talento do futebol, merece todo o nosso apoio e solidariedade diante dessa situação lamentável.

Este incidente não é isolado. Infelizmente, casos de racismo têm sido recorrentes nos campos no Brasil, no Campeonato Espanhol, e em outras competições ao redor do mundo. É uma triste realidade que necessita de ações imediatas e contundentes por parte das entidades responsáveis pelo futebol.

Portanto, faço um apelo à CBF e a FIFA para que tomem medidas urgentes diante desse e de outros casos semelhantes. A FIFA, como a maior autoridade do futebol mundial, tem o dever de agir e mostrar que não tolerará atos de racismo em suas competições. É necessário implementar medidas mais rigorosas, como punições exemplares, para que os culpados sejam responsabilizados e para que seja dado um basta a essa prática desumana.

Além disso, é preciso investir na educação e conscientização dentro dos clubes e das categorias de base, a fim de combater o racismo desde a sua raiz. É fundamental promover a diversidade e a segurança dentro e fora dos campos, para que todos os jogadores possam exercer sua profissão sem medo de serem discriminados.

Ressalto que o futebol tem o poder de unir pessoas e culturas, de promover a inclusão e de quebrar barreiras sociais. Por isso, é necessário que todos os envolvidos no esporte, sejam jogadores, técnicos, dirigentes ou torcedores, se unam nessa luta contra o racismo, para que o futebol seja um exemplo de respeito e igualdade.

Faço um apelo aos meus colegas deputados para que se juntem a mim nesse repúdio veemente ao racismo e para que cobremos da FIFA e da CBF medidas efetivas para enfrentar essa questão. O futebol é uma paixão nacional que une milhões ao redor do mundo, e não podemos permitir que o ódio e a intolerância o contaminem.

Vamos lutar juntos contra o racismo no futebol e em nossa sociedade como um todo. É hora de dizer basta e mostrar que a nossa nação é diversa, inclusiva e igualitária. Que o talento de jogadores como Vini Junior seja exaltado e aplaudido, e que o preconceito e a intolerância sejam banidos dos campos do futebol e da vida cotidiana.

Reitero, portanto, o meu repúdio a todos os atos racistas no futebol e minha solicitação à FIFA e a CBF para que tomem providências energéticas e efetivas em relação a esses episódios recorrentes. Acredito que, juntos, podemos fazer do futebol um espaço de inclusão e respeito, onde todos podem jogar e torcer sem o peso do preconceito.

Deputado Bosco

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo