Mundo

Renato Zupo na Europa

O juiz e escritor Renato Zupo está cumprindo agenda cheia em mais um projeto social e cultural em terras distantes. Em seu quinto livro, Simplifica Direito – O Direito sem as partes chatas, ele novamente partiu para outros países para dar palestras e oficinas literárias e distribuir e divulgar gratuitamente sua obra.

Como em outros projetos e obras (Rio da Lua e Inteligência Prática, entre elas), Zupo lança mão de sua arte e engajamento social para dar ampla visibilidade a nossa literatura e garantir a inclusão social pela cultura em eventos beneficentes na Europa. Ele retornou agora de Portugal, onde participou de um seminário e palestrou sobre a nova obra para convidados portugueses e brasileiros na cidade de Alcobaça. Depois, fez o mesmo em Bérgamo, na Itália, onde participou de evento em praça pública e pelas ruas daquela belíssima cidade medieval. Também esteve em Óbidos  (Portugal) Como e Milão (Itália).

Segundo o autor, como juiz de direito que é, não pode abrir mão do olhar social sobre sua arte e procura tornar suas obras e ideias acessíveis ao público. O objetivo de sempre é acolher pela cultura à população carente, principalmente aos mais jovens. No exterior, ele busca divulgar a cultura e a literatura brasileiras livres de estereotipos e preconceitos. “Nas primeiras missões culturais me assustei: pro europeu, arte por aqui é samba, dança e carnaval; Desconhecem por completo nossa literatura moderna, nossa arte urbama – e isso inclui conterrâneos brasileiros que vivem fora, absolutamente abandonados da  nossa arte pátria. Estou conseguindo mudar isso, pouco a pouco, com minhas viagens e eventos. É um trabalho lento, de formiguinha, mas muito gratificante.”

Agora Zupo se prepara para “conquistar a América”. Em setembro irá a Nova York e ao vizinho estado de Connecticut lançar o Simplifica Direito para brasileiros residentes no exterior, com pouco ou nenhum contato com literatura moderna brasileira de boa qualidade. Mais uma vez, vai acolher aos milhares de conterrâneos que vivem lá fora em busca de melhores condições de vida e de trabalho, e que são esquecidos por aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo